20 novembro 2007

RejecConf SP 07, a comunidade de Rails é real!

Neste último sábado (17/11/2007) ocorreu um evento chamado RejectConf SP'07, no IME-USP, de 12:00 até mais o infinito e claro que eu estava lá! O RejectConf foi um evento da comunidade de Rails, para a comunidade de Rails[bb], desde o desenvolveder iniciante até o avançado. Eu gostaria de dar os parabéns ao Akita pela iniciativa de organizar e orquestrar um evento tão bacana como esse e também de agradecer ao pessoal do IME-USP e da Caelum pela infra-estrutura e pelo coffe-break.

O evento foi estruturado em diversas mini-palestras de em média 30 minutos. Algumas palestras que mais me chamaram a atenção foi a palestra do Danilo Sato com RSpec e Rails, a palestra do Felipe Giotto com Rails para aplicativos Desktop e a palestra do Fabio Kung com JRuby Compiler.

Os leitores deste blog devem saber que eu e mais 3 amigos construimos um aplicativo chamado Pagestackr. O George Guimarães, um dos desenvolvedores desse aplicativo, também fez uma palestra bem legal. Ele falou um pouco da história do Pagestackr no Rails Rumble e principalmente sobre os assuntos ligados a infra-estrutura de aplicativos web com Rails e questões de escalabilidade. Foi uma palestra bem legal, abaixo você pode dar uma olhada.


Um número interessante comentado pelo Akita, no evento, é que o Brasil é a terceira maior comunidade de Rails no mundo, segundo o Working With Rails.

Mas o mais legal mesmo do RejectConf foi descobrir que temos bastante gente interessada em Rails aqui no Brasil e bastante gente que manja mesmo do negócio. O Brasil sempre foi apontado como um país com grande potencial em TI, temos que fazer valer isso.

obs.: in off, agradeço ao Roudi por ter me dado o prazer de brincar pela primeira vez com um iPhone (o dele, claro). Roudi, vou precisar te encontrar mais vezes, fiquei viciado no teu iPhone!

Android, mais um tentáculo de Mountain View

Eu estava lendo um post legal do Cezar Taurion sobre o Android e não pude deixar de fazer alguns comentários e conclusões.

Seguem dois trechos do post do Cezar Taurion e alguns comentários:

"(...) Criando uma plataforma única (android), possibilita um avanço mais rápido no desenvolvimento de aplicações (...)"
Como todos já sabem, uma platforma não tem valor em si, é necessário aplicativos que agreguem valor a essa plataforma, sem eles, ela não serve de nada. Eu já falei sobre isso em um outro post sobre killer apps.

Com o android, o google cria uma plataforma que possibilita a todos criarem aplicativos para celulares, e ganharem valor com isso. Mas não esqueça, essa oportunidade também vale para o próprio google.

"(...) E para acelerar o desenvolvimento de softwares usando este stack, a aliança criou o Android Developer Challenge, com prêmios de até dez milhões de dólares. Interessados? Vejam em http://code.google.com/android/adc.html ."
Muitas vezes que alguém quer "incentivar a criatividade" e gerar possíveis negócios em torno disso, se faz uma competição e se distribui prêmios. Não foi assim que a IBM começou?!


No mais, ainda estou tentando entender como o Google almeja agregar valor a si mesmo com o Android. Uma saída óbvia seria através de Ads em plataforma celular, o que eles não tem ainda, ou tem muito pouco. Mas como? Simples, vocês devem conhecer gmail mobile, google reader mobile... com o android será possível você ver google qualquer coisa mobile... pois eh.

Com o android rodando em todo celular, fica muito mais fácil (pensando em portabilidade) para o google distribuir seus aplicativos para além do mundo de computadores pessoais. Com a maior distribuição dos seus aplicativos através de uma rede totalmente nova (a rede de celulares) e tão grande quanto a rede de computadores, o aumento da distribuição de Ads do google irá crescer proporcionalmente.

Será esse um dos próximos passos do google? Você acredita que uma empresa que possui "Don't Be Evil" em seu slogan não tem nada de Evil?!

12 novembro 2007

Cuidado com os Bozos!

Se você tem uma startup ou pensa em ter uma, com certeza você vai encontrar bozos em seu caminho. Bozo é aquela clássica pessoa que diz que você está errado, que seu negócio não vai funcionar ou que você está fazendo a maior burrada de sua vida.

Eu tirei essa palavra "bozo" de um dos livros[bb] do Guy Kawasaki chamado The Art of the Start[bb]. Ele fala assim:"Don't let the bozos grind you down. The bozos will tell a company that what it's doing can't be done, shouldn't be done, and isn't necessary. Some bozos are clearly losers--they're the ones who are easy to ignore. The dangerous ones are rich, famous, and powerful--because they are so successful, innovators may think they are right. They're not right; they're just successful on the previous curve so they cannot comprehend, much less embrace, the next curve."

Vou falar aqui daquele "bozo" que não é rico. Esse tipo de "bozo" pode ser da sua família, pode ser um amigo seu, um professor seu ou qualquer outra pessoa que vive ao seu redor. Vou chamar esse bozo de "bozo amigo" porque normalmente ele não quer o seu mal, simplesmente ele não entende sua visão, seu negócio, sua realidade, sua percepção do mundo ou sua natureza empreendedora.

Mesmo com toda a "boa vontade", o bozo amigo pode acabar com sua motivação, fazer com que você desista de explorar uma oportunidade ou até destruir seu negócio. Startups são movidas por pessoas. No começo, uma startup é composta apenas por fundadores e co-fundadores. Essa equipe inicial é movida apenas por duas coisas: um sonho em comum e muita força de vontade. A força de vontade sobre-humana despendida pelos fundadores é consequência direta do sonho em comum e do fato de acreditarem piamente na idéia de seu produto. Sem acreditar na idéia da statup, o fundador perde motivação, sem motivação ele atrapalha sua equipe, e se toda a equipe não tiver tesão, a startup vai morrer. Toda essa reação em cadeia pode ter sua barreira de energia de ativação rompida por uma simples frase ou conselho de um bozo amigo.

Por que bozos amigos te levam pra baixo? A pessoa que melhor entende do seu negócio é você mesmo e a pessoa que pior entende do seu negócio é o bozo amigo. Para o bozo amigo, a sua startup é irracional, o seu modelo de negócios é fantasioso, você apenas está perdendo tempo quando poderia estar fazendo uma certificação Java[bb] ou estudando para um concurso público. O bozo amigo não entende sua visão, se ele entendesse, ele mesmo estaria construindo a startup dele. O bozo amigo não entende porque você passa o final de semana programando. O bozo amigo não entende por que você deixa de ir pra praia no feriado para ficar depurando código e consertando bug. O bozo amigo vai dizer que tudo isso que você está fazendo não é mais do que pura empolgação e ingenuidade. O bozo amigo vai dizer que você está acabando com sua vida social. Por não conhecer seu mundo, não entender sua visão e achar que você está desperdiçando tempo de sua vida, o bozo amigo sempre vai repetir: "você é doido, por que você está fazendo isso?"

Como evitar o bozo amigo? A primeiras coisas que você deve pensar ao ouvir algum discurso do bozo amigo é: esse cara conhece o meu negócio? Esse cara tem idéia do dia a dia de um empreendedor? Essa cara vive a mesma realidade que eu? Não importa se o bozo amigo é seu pai, seu melhor amigo ou aquele cara que só tira as melhores notas na faculdade. Ele não é você! Ele não sabe o que você vive, ele não tem a sua visão!
Os co-fundadores também são muito importantes na hora que um bozo amigo vem infernizar sua vida. O papel de cada co-fundador é sempre estar motivando os outros, a startup vive da motivação deles, é o reflexo de suas vidas e trabalho. Quando um bozo vier e disser que você está errado, fale com seu amigo co-fundador. Com certeza ele vai te dar motivação e te ajudar a ignorar esse bozo.

Cuidado quando o bozo está dentro da sua casa! Existe um caso em que o seu amigo co-fundador não pode te motivar, simplesmente porque ele mesmo não acredita "cegamente" na idéia de sua startup. Esse é um dos piores tipos de bozo, é o bozo co-worker (hehehe, que falta de criatividade). Para fundar uma startup, normalmente é nessário de sócios, mas é necessário que todo sócio realmente acredite na startup. Normalmente o dia a dia da startup irá filtrar quem acredita e quem não acredita. Mas se o trabalho diário da startup não filtrar esse tipo de bozo, pode ser porque o bozo esteja apenas se escorando em você, ele não esteja realmente usando toda sua força, simplesmente porque ele não acredira cegamente na startup. Dê trabalho a esse bozo, muito trabalho. Cobre dele, se ele for um bozo mesmo, ele não vai conseguir fazer todo o trabalho e vai desistir. Esse é o caso que você tem que dar uma mãozinha para o processo de seleção natural de co-fundador de empresas.

Resumindo, o bozo amigo vai existir até a sua startup der certo, até você ganhar muito dinheiro, até você sair em capa de revista. O bozo amigo é uma pessoa perto de você, esse é o problema, normalmente em outros assuntos da sua vida a opinião dele tem relevância, mas no caso da startup, ela não tem. Ignore o bozo amigo, foque na sua startup, trabalhe muito. No futuro o bozo amigo é também aquele clássico cara arrependido de não ter se juntado com você ou aquela pessoa que olha para a TV e diz: "aquele era meu amigo!", mas sozinho ele pensa (eu poderia estar do lado dele). Depois de tudo, o melhor que o bozo amigo pode fazer é aprender com seu erro e deixar com que seu amigo empreendedor possa trabalhar muito e mudar o mundo.

 
Fork me on GitHub