30 agosto 2007

Programadores também levantam peso


Ontem fui fazer meu primeiro treino, mas não foi um treino comum, é um treino de programação... COMO ASSIM? Hehehe, você leu correto, um treino de programação. A idéia é que assim como atletas, e músicos, programadores também precisam treinar. Eu gostei muito da idéia e fui checar.

O projeto se chama Coding Dojo. A idéia toda por trás do Coding Dojo você pode ver no blog do Danilo Sato, o cara que fundou o Conding Dojo SP. Eu já conhecia a idéia do Coding Dojo através de um podcast do Eduardo Fiorezi e tinha bastante interessante. Foi também pelo podcast do Eduardo Fiorezi que eu descobri o Coding Dojo aqui de São Paulo.

O mais legal do Coding Dojo é o fato de utilizarmos boas práticas de programação e coisas que tem muito a ver com XP por exemplo. Usamos TDD, programação em pares e diversas outras práticas do XP. A primeira experiência foi muito boa, com certeza vou bater carteira toda quarta-feira lá no IME agora.

A web não é mais apenas dos computeiros!




Durante este último fim de semana rolou o BlogCamp, evento voltado para a comunidade blogueira, no estilo do Barcamp, ou seja, no modelo de desconferência. O evento rolou durante os dias de 25 e 26 de agosto e foi sediado no espaço Gafanhoto, a casa de cultura do Cazé Peçanha. Eu estive lá e o evento foi bem da hora, mas não pelo evento em si e mais pelas pessoas que estavam lá. Encontrei figurinhas repetidas como Marco Gomes, Fujita, Manoel Blog Blogs e conheci também o Rodolfo Sikora. Esse Sikora é muito gente boa, confirmando as idéias que a gente já tinha trocado pela internet a fora. Espero que a parceria vá pra frente Sikora.

Recuperando o fôlego agora, o que eu queria falar mesmo é de como a internet não é mais espaço dominado apenas por nerds geeks computeiros de plantão. Sim, agora nós temos também a presença de jornalistas! O aumento cada vez maior do volume de jornalistas e "jornalistas" na internet e principalmente na blogosfera está mudando o modo de como a informação é consumida e de como a mídia tradicional se expressa nesse mercado. Muitos podem dizer que estou um pouco atrasado ao dizer isso, mas eu sempre quis falar sobre isso. Se muitos já sabem disso (apenas a blogosfera e quem come por essas bordas), outros muitos mais não sabem. Vide várias amigas que tenho que estudam jornalismo e nem sabem que no futuro o sonho delas pode não ser mais trabalhar para o Estadão e sim ter um blog de sucesso e trabalhar em casa.

Este fenômeno já salta os olhos de muita gente por aí, vide a matéria de aniversário da Super Interessante de setembro: "A super faz 20 anos, vai fazer 30?". Essa matéria fala exatamente de como a venda de jornais como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e O Globo tem caído constantemente desde o ano de 2000. Isso é fruto de quem? Será que as pessoas estão lendo menos? Pelo contrário, acho que as pessoas estão lendo e se informando mais do que nunca. Hoje você pode ler o que quer e o que gosta, pode escrever sobre isso e pode dar sua opinião sobre o artigo que você lê. Ahhh, isso tem nome né? Lembrei, é blog!

A internet tem revolucionado vários mercados, não é apena uma tecnologia, fria e sem sentido humano. É uma revolução que não toca apenas os geeks de computação, toca também os sociólogos que querem entender o comportamento estranho de um milhão de adolescentes passando mais tempo no MSN e orkut que na frente da televisão. Toca também os donos de gravadoras, que cada vez mais vêem seus impérios desmoronarem. Toca os jornalistas e empresas da mídia padrão, que estão precisando repensar como eles devem trabalhar.

A internet é tudo isso. Temos espaço para todos e queremos que todos tenham seu espaço. Que venham muitos mais blogcamps e que tenhamos além de blogs de jornalistas, tenhamos também muito mais blogs de música, cinema, quadrinhos e esportes. Que tenhamos de fato a revolução da informação que alguns chamam de Web 2.0!

 
Fork me on GitHub