05 março 2007

Postergando a escolha

Muitas pessoas não sabem o que escolher no vestibular, algumas dessas escolhem Engenharia (com 'E' maiúsculo porque é algo que eu respeito). Porque Engenharia? Engenharia é uma profissão curinga! Nas palavras de meu amigo Diego Bartels: "Escolher Engenharia é postergar a escolha".

Postergar a escolha quer dizer que só depois de estar cursando ou finalizar o curso de Engenharia que você escolhe com o que vai trabalhar, não é o curso que define a sua carreira e sim você que a define. Outra frase interessante: "Engenheiro só não pode ser médico nem advogado, o resto tá valendo".

Existem engenheiros no mercado financeiro, trabalhando com consultoria, headhunters e até como engenheiros! Mas porque isso? Porque engenheiros não trabalham com engenharia? Não seria bom que tivéssemos uma indústria de semicondutores sólida? Não seria bom que desenvolvêssemos nossas próprias soluções tecnológicas? Não seria bom construir uma base tecnológica nacional mais forte ao invés de ficar importando tudo? Não seria bom que os engenheiros trabalhassem com engenharia e fizessem tudo isso por nós?!

Sim, é muito bom planejar, projetar e finalmente construir algo... e ainda ser pago por isso. Isso é que um engenheiro faz. Ele constroi coisas que agregam valor para alguém e ainda é pago por isso. Aí esta a maravilha do negócio! Vamos acordar para isso e fazer engenharia. Nada contra os engenheiros que não trabalham com engenharia, apenas tenho, sim, coisas a favor dos engenheiros engenheiros...

9 comentários:

Gabriel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriel disse...

Cara, o que vc chama de "trabalhar com engenharia"?
Por exemplo, um ponto que me intriga no curso de engenharia de computação, eh que muitos partem pro lado de programação pura. E eu odeio isso. Ficar programando que nem louco eh uma coisa que, ao meu ver, subutiliza as habilidades desenvolvidas num curso de engenharia. Um cara que fez Ciências da Computação sim, poderia partir pra esse lado da programação pura. Engenharia eh muito mais que isso, eh ter uma visão do por que fazer isso que vc está fazendo, eh saber como a parte que vc está desenvolvendo vai influenciar no todo e vice-versa.
O triste é que, pelo menos o q eu tenho visto no Brasil, as oportunidades para o eng. de computação estão muito voltadas para o cara que só quer ficar "escovando bits"...
Posso ter falado um monte de merda, mas eh o que eu "senti" ao ler seu post...
Fallows!

Hugo Pessoa de Baraúna disse...

Olá Gabriel, quando falo em "trabalhar com Engenharia" quero dizer resumidamente que temos que desenvolver tecnologia e não virar vendedores de empresas internacionais, como acontece com a maioria dos nosso Engenheiros. Se temos ótima escolas de Engenharia, ótimos alunos de Engenharia e ótimos profissionais de Engenharia... por que não podemos ter também ótimas empresas de Engenharia também? Por que não podemos ter um vasto parque industrial nacional onde se desenvolva e se utilize Engenharia de verdade? Esse é meu ponto.

Anônimo disse...

Grande Gabriel, queria dizer que utilizei seu texto no meu curso da eng. computação e gostaria de parabeniza-lo pelo blog.

Show de bola!

Hugo Pessoa de Baraúna disse...

Olá anônimo do comentário acima! Acho que você se enganou no seu comentário acima quando se dirigiu ao Gabriel como autor do blog. Na verdade sou eu, Hugo Baraúna. Se foi realmente para o autor do blog que você mandou um elogio, eu agradeço! Também faço engenharia de computaçao, na Politécnica da USP. Baseada nessa minha experiência que escrevi este post sobre a escolha do curso de Engenharia. Obrigado e volte sempre aqui no blog!

guilherme disse...

Hugo, achei show de bola seu artigo.
faço Engenharia Civil na UNESC/SC e usei referências do seu artigo em um ensaio meu para o curso. Parabens

Hugo Pessoa de Baraúna disse...

Muito obrigado pelos elogios Guilherme! Fico feliz que meu texto tenha te ajudado. Qualquer coisa, se publicar esse teu trabalho na web, me passa o link, gostaria de dar uma olhada depois.

Abração!

Anônimo disse...

Caro Hugo,

Eu também compartilho do seu ponto de vista, no sentido de que eu também gostaria de ser um "engenheiro engenheiro". Entretanto, nossa realidade econômica não permite que nosso país possua tantas ofertas de empregos nesta área.

Eu mesmo trabalhei durante 5 anos na área de desenvolvimento eletrônico. Entretanto, dada dificuldade de competição com empresas do mercado global, fui obrigado a procurar outros caminhos.

Também achei um trabalho interessante, publicado no XXV Encontro Nacional de Engenharia de Produção:

http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2005_Enegep1101_1740.pdf

Nesse artigo, além de categorizar os "tipos" de Engenheiros, ele também atribui a distribuição entre estes "tipos", em grande parte, à nossa política de investimentos.

Mais uma vez, parabéns pelo artigo.

Trícya (Feira de Santana- Ba) disse...

Meus parabéns pela postagem. Muito bem definida.
Faço Engenharia de Alimentos e pretendo SER Engenheira e não apenas ter título de Engenheira!
Abraços.

 
Fork me on GitHub