20 novembro 2007

RejecConf SP 07, a comunidade de Rails é real!

Neste último sábado (17/11/2007) ocorreu um evento chamado RejectConf SP'07, no IME-USP, de 12:00 até mais o infinito e claro que eu estava lá! O RejectConf foi um evento da comunidade de Rails, para a comunidade de Rails[bb], desde o desenvolveder iniciante até o avançado. Eu gostaria de dar os parabéns ao Akita pela iniciativa de organizar e orquestrar um evento tão bacana como esse e também de agradecer ao pessoal do IME-USP e da Caelum pela infra-estrutura e pelo coffe-break.

O evento foi estruturado em diversas mini-palestras de em média 30 minutos. Algumas palestras que mais me chamaram a atenção foi a palestra do Danilo Sato com RSpec e Rails, a palestra do Felipe Giotto com Rails para aplicativos Desktop e a palestra do Fabio Kung com JRuby Compiler.

Os leitores deste blog devem saber que eu e mais 3 amigos construimos um aplicativo chamado Pagestackr. O George Guimarães, um dos desenvolvedores desse aplicativo, também fez uma palestra bem legal. Ele falou um pouco da história do Pagestackr no Rails Rumble e principalmente sobre os assuntos ligados a infra-estrutura de aplicativos web com Rails e questões de escalabilidade. Foi uma palestra bem legal, abaixo você pode dar uma olhada.


Um número interessante comentado pelo Akita, no evento, é que o Brasil é a terceira maior comunidade de Rails no mundo, segundo o Working With Rails.

Mas o mais legal mesmo do RejectConf foi descobrir que temos bastante gente interessada em Rails aqui no Brasil e bastante gente que manja mesmo do negócio. O Brasil sempre foi apontado como um país com grande potencial em TI, temos que fazer valer isso.

obs.: in off, agradeço ao Roudi por ter me dado o prazer de brincar pela primeira vez com um iPhone (o dele, claro). Roudi, vou precisar te encontrar mais vezes, fiquei viciado no teu iPhone!

Android, mais um tentáculo de Mountain View

Eu estava lendo um post legal do Cezar Taurion sobre o Android e não pude deixar de fazer alguns comentários e conclusões.

Seguem dois trechos do post do Cezar Taurion e alguns comentários:

"(...) Criando uma plataforma única (android), possibilita um avanço mais rápido no desenvolvimento de aplicações (...)"
Como todos já sabem, uma platforma não tem valor em si, é necessário aplicativos que agreguem valor a essa plataforma, sem eles, ela não serve de nada. Eu já falei sobre isso em um outro post sobre killer apps.

Com o android, o google cria uma plataforma que possibilita a todos criarem aplicativos para celulares, e ganharem valor com isso. Mas não esqueça, essa oportunidade também vale para o próprio google.

"(...) E para acelerar o desenvolvimento de softwares usando este stack, a aliança criou o Android Developer Challenge, com prêmios de até dez milhões de dólares. Interessados? Vejam em http://code.google.com/android/adc.html ."
Muitas vezes que alguém quer "incentivar a criatividade" e gerar possíveis negócios em torno disso, se faz uma competição e se distribui prêmios. Não foi assim que a IBM começou?!


No mais, ainda estou tentando entender como o Google almeja agregar valor a si mesmo com o Android. Uma saída óbvia seria através de Ads em plataforma celular, o que eles não tem ainda, ou tem muito pouco. Mas como? Simples, vocês devem conhecer gmail mobile, google reader mobile... com o android será possível você ver google qualquer coisa mobile... pois eh.

Com o android rodando em todo celular, fica muito mais fácil (pensando em portabilidade) para o google distribuir seus aplicativos para além do mundo de computadores pessoais. Com a maior distribuição dos seus aplicativos através de uma rede totalmente nova (a rede de celulares) e tão grande quanto a rede de computadores, o aumento da distribuição de Ads do google irá crescer proporcionalmente.

Será esse um dos próximos passos do google? Você acredita que uma empresa que possui "Don't Be Evil" em seu slogan não tem nada de Evil?!

12 novembro 2007

Cuidado com os Bozos!

Se você tem uma startup ou pensa em ter uma, com certeza você vai encontrar bozos em seu caminho. Bozo é aquela clássica pessoa que diz que você está errado, que seu negócio não vai funcionar ou que você está fazendo a maior burrada de sua vida.

Eu tirei essa palavra "bozo" de um dos livros[bb] do Guy Kawasaki chamado The Art of the Start[bb]. Ele fala assim:"Don't let the bozos grind you down. The bozos will tell a company that what it's doing can't be done, shouldn't be done, and isn't necessary. Some bozos are clearly losers--they're the ones who are easy to ignore. The dangerous ones are rich, famous, and powerful--because they are so successful, innovators may think they are right. They're not right; they're just successful on the previous curve so they cannot comprehend, much less embrace, the next curve."

Vou falar aqui daquele "bozo" que não é rico. Esse tipo de "bozo" pode ser da sua família, pode ser um amigo seu, um professor seu ou qualquer outra pessoa que vive ao seu redor. Vou chamar esse bozo de "bozo amigo" porque normalmente ele não quer o seu mal, simplesmente ele não entende sua visão, seu negócio, sua realidade, sua percepção do mundo ou sua natureza empreendedora.

Mesmo com toda a "boa vontade", o bozo amigo pode acabar com sua motivação, fazer com que você desista de explorar uma oportunidade ou até destruir seu negócio. Startups são movidas por pessoas. No começo, uma startup é composta apenas por fundadores e co-fundadores. Essa equipe inicial é movida apenas por duas coisas: um sonho em comum e muita força de vontade. A força de vontade sobre-humana despendida pelos fundadores é consequência direta do sonho em comum e do fato de acreditarem piamente na idéia de seu produto. Sem acreditar na idéia da statup, o fundador perde motivação, sem motivação ele atrapalha sua equipe, e se toda a equipe não tiver tesão, a startup vai morrer. Toda essa reação em cadeia pode ter sua barreira de energia de ativação rompida por uma simples frase ou conselho de um bozo amigo.

Por que bozos amigos te levam pra baixo? A pessoa que melhor entende do seu negócio é você mesmo e a pessoa que pior entende do seu negócio é o bozo amigo. Para o bozo amigo, a sua startup é irracional, o seu modelo de negócios é fantasioso, você apenas está perdendo tempo quando poderia estar fazendo uma certificação Java[bb] ou estudando para um concurso público. O bozo amigo não entende sua visão, se ele entendesse, ele mesmo estaria construindo a startup dele. O bozo amigo não entende porque você passa o final de semana programando. O bozo amigo não entende por que você deixa de ir pra praia no feriado para ficar depurando código e consertando bug. O bozo amigo vai dizer que tudo isso que você está fazendo não é mais do que pura empolgação e ingenuidade. O bozo amigo vai dizer que você está acabando com sua vida social. Por não conhecer seu mundo, não entender sua visão e achar que você está desperdiçando tempo de sua vida, o bozo amigo sempre vai repetir: "você é doido, por que você está fazendo isso?"

Como evitar o bozo amigo? A primeiras coisas que você deve pensar ao ouvir algum discurso do bozo amigo é: esse cara conhece o meu negócio? Esse cara tem idéia do dia a dia de um empreendedor? Essa cara vive a mesma realidade que eu? Não importa se o bozo amigo é seu pai, seu melhor amigo ou aquele cara que só tira as melhores notas na faculdade. Ele não é você! Ele não sabe o que você vive, ele não tem a sua visão!
Os co-fundadores também são muito importantes na hora que um bozo amigo vem infernizar sua vida. O papel de cada co-fundador é sempre estar motivando os outros, a startup vive da motivação deles, é o reflexo de suas vidas e trabalho. Quando um bozo vier e disser que você está errado, fale com seu amigo co-fundador. Com certeza ele vai te dar motivação e te ajudar a ignorar esse bozo.

Cuidado quando o bozo está dentro da sua casa! Existe um caso em que o seu amigo co-fundador não pode te motivar, simplesmente porque ele mesmo não acredita "cegamente" na idéia de sua startup. Esse é um dos piores tipos de bozo, é o bozo co-worker (hehehe, que falta de criatividade). Para fundar uma startup, normalmente é nessário de sócios, mas é necessário que todo sócio realmente acredite na startup. Normalmente o dia a dia da startup irá filtrar quem acredita e quem não acredita. Mas se o trabalho diário da startup não filtrar esse tipo de bozo, pode ser porque o bozo esteja apenas se escorando em você, ele não esteja realmente usando toda sua força, simplesmente porque ele não acredira cegamente na startup. Dê trabalho a esse bozo, muito trabalho. Cobre dele, se ele for um bozo mesmo, ele não vai conseguir fazer todo o trabalho e vai desistir. Esse é o caso que você tem que dar uma mãozinha para o processo de seleção natural de co-fundador de empresas.

Resumindo, o bozo amigo vai existir até a sua startup der certo, até você ganhar muito dinheiro, até você sair em capa de revista. O bozo amigo é uma pessoa perto de você, esse é o problema, normalmente em outros assuntos da sua vida a opinião dele tem relevância, mas no caso da startup, ela não tem. Ignore o bozo amigo, foque na sua startup, trabalhe muito. No futuro o bozo amigo é também aquele clássico cara arrependido de não ter se juntado com você ou aquela pessoa que olha para a TV e diz: "aquele era meu amigo!", mas sozinho ele pensa (eu poderia estar do lado dele). Depois de tudo, o melhor que o bozo amigo pode fazer é aprender com seu erro e deixar com que seu amigo empreendedor possa trabalhar muito e mudar o mundo.

22 outubro 2007

Bandex de Bolso no Ar

Se você estuda na USP vai gostar de saber disso. Esse final de semana fiquei brincando de programar em Ruby colocando uma idéia em prática e eis que nasceu Bandex de Bolso.

O Bandex de Bolso é um serviço que lhe envia um SMS todo dia antes do almoço lhe avisando o que tem no almoço do bandejão naquele dia. O Serviço é totalmente gratuito, mas só funciona para celulares Tim no momento. Estou estudando o seu desevolvimento para celulares Claro também.

Para poder desfrutar desse serviço, basta acessar o site do Bandex de Bolso e seguir as instruções do site. Qualquer problema, fale comigo.

Bom almoço no bandejão!

19 outubro 2007

Bandex Móvel chegando!

Como todo bom programador e inspirado pelos projetos de uma madrugada do Marco Gomes, resolvi por em prática uma idéia que tive a um tempo mas não tinha acabado ainda... o "Bandex Móvel!".

O Bandex Móvel é um um programa feito em ruby que envia um SMS para seu celular avisando o que vai ter no bandejão da USP, legal né?! No momento ele ainda é um programa que roda apenas pela linha de comando, mas com apenas um comando: create_bandex_agenda(). Um dos próximos passos do Bandex Móvel é distribui-lo como aplicativo web, claro, feito com Rails.

Para você poder usar o Bandex Móvel agora mesmo, basta fazer duas coisas:
1. Aceitar ser beta tester do programa, fazendo sugestões de novas funcionalidades e o mais importante... achando bugs!
2. Ter uma conta do Google Calendar (ou criar uma). É de lá que são enviados os SMSs. Sim, usei a API deles pra isso.

Beta testers, estou esperando vocês em hugo.barauna@gmail.com

obs.: No momento, como o serviço é gratuito, só está funcionando para celulares Tim.

25 setembro 2007

Pagestackr na reta final

Pessoal, estamos na reta final da competição do Rails Rumble, a votação acaba nesta quinta feira, às 23:59. Passamos os últimos 6 dias em primeiro lugar constantemente, mas hoje caímos para segundo lugar. Precisamos da ajuda de vocês para fazer com que um aplicativo 100% brasileiro vença uma competição internacional de Ruby on Rails.

O Marco Gomes também já deu sua ajuda, dê uma olhada no post que ele fez sobre o Pagestackr. Valeu Marco!!!

Para nos ajudar basta seguir os seguintes passos para votar no nosso aplicativo:

1. Faça um cadastro aqui no link register do canto superior direito;
2. Após fazer o cadastro, você receberá um e-mail de confirmação. Cuidado, ele pode ter caído na sua caixa de spam ou lixo eletrônico, caso pareça estar demorando muito;
3. Após confirmar o cadastro por e-mail, entre no nosso site e vote. Basta preencher as estrelinhas. Caso as estrelinhas não estejam aparecendo, clique no link de login no canto superior direito e logue com as informações do cadastro feito no passo 1.

Entre no site, dê uma testada no aplicativo e aproveite para votar na gente.

Contamos com a ajuda e suporte de todos. Valeu galera!!!

19 setembro 2007

Pagestackr no Techbits!



Pessoal, hoje o Fugita do Techbits colocou um post sobre as aplicações brasileiras do Rails Rumble e nós saímos lá, muito legal. Ele dá uma boa explicada sobre o nosso serviço. Vale a pena conferir, porque todas as aplicações brasileiras do Rails Rumble estão lá, dêem uma olhada. Dêem uma olhada também no Rec6, o post do Fugita sobre o Rails Rumble está na primeira página.

Caso você ainda não tenha visto ou votado, não esqueça de dar uma olhada na nossa aplicação. Para votar basta cadastrar aqui, e depois votar aqui.

Cuidado que o e-mail de confirmação de cadastro pode cair na caixa de spam.

18 setembro 2007

Pagestackr


Criar e manter no ar o Pagestackr foi e tem sido uma ótima experiência. Durante esses últimos dias tivemos alguns problemas para manter o Pagestackr no ar. Se você quiser saber mais detalhes desses problemas, dê uma olhada no blog do George, onde ele explica exatamente os problemas que tivemos e as soluções que desenvolvemos.

Além dos problemas enfrentados para manter no ar o Pagestackr, essa competição tem nos trazido outras emoções também, pois até este momento estamos com boas chances de ganhar a competição, variando entre o primeiro e segundo lugar. Agradeço a todos os usuários que usaram nossa aplicação e que nos deram seus votos.

Ah, não posso esquecer de dizer que saímos no Meio Bit, dê uma olhada na nota do Meio Bit sobre nossa aplicação.

Se quiser dar uma fuçada no Pagestackr, e votar na gente, basta fazer um cadastro aqui, e votar na gente aqui. Caso algum problema ocorra, por favor, entre em contato direto conosco, por Gtalk ou e-mail (hugo.barauna@gmail.com).


12 setembro 2007

Rails Rumble


Desde uma prova de Laboratório de Fundamentos de Engenharia de Computaçao na Poli que eu não passava tanto tempo programando sem parar... Foram 48 horas de programação (quase) sem parar. Esse evento se chama Rails Rumble.

O objetivo era construir uma aplicação em Rails em apenas 48 horas. As equipes devem ser no máximo de 4 pessoas. Nós fizemos isso, o resultado você pode encontrar em Pagestackr.

A nossa aplicação é um bookmarking estilo delicious, a diferença é que no delicious você pode fazer busca apenas por tags. No Pagestackr você busca pelas tags e também pelo documento html inteiro que você fez bookmak, ou seja, o documento inteiro é indexado por nós.

Durante os dois dias, dormi pouco mais de 6 horas, mas foi muito interessante participar dessa competição, deu para aprender bastante e houve momentos de muita emoção também (depois eu mostro nosso robô indexador rodando para você ver).

A nossa aplicação está no ar e a partir de amanhã a votação começa. Portanto, dê uma checada na aplicação (a partir de amanha é melhor, pois a versão final só entra em produção amanhã) e dê um voto para nós.

Se quiser saber mais da nossa aplicação, de uma olhada aqui. Então, acessem e aplicação e Stack It!

30 agosto 2007

Programadores também levantam peso


Ontem fui fazer meu primeiro treino, mas não foi um treino comum, é um treino de programação... COMO ASSIM? Hehehe, você leu correto, um treino de programação. A idéia é que assim como atletas, e músicos, programadores também precisam treinar. Eu gostei muito da idéia e fui checar.

O projeto se chama Coding Dojo. A idéia toda por trás do Coding Dojo você pode ver no blog do Danilo Sato, o cara que fundou o Conding Dojo SP. Eu já conhecia a idéia do Coding Dojo através de um podcast do Eduardo Fiorezi e tinha bastante interessante. Foi também pelo podcast do Eduardo Fiorezi que eu descobri o Coding Dojo aqui de São Paulo.

O mais legal do Coding Dojo é o fato de utilizarmos boas práticas de programação e coisas que tem muito a ver com XP por exemplo. Usamos TDD, programação em pares e diversas outras práticas do XP. A primeira experiência foi muito boa, com certeza vou bater carteira toda quarta-feira lá no IME agora.

A web não é mais apenas dos computeiros!




Durante este último fim de semana rolou o BlogCamp, evento voltado para a comunidade blogueira, no estilo do Barcamp, ou seja, no modelo de desconferência. O evento rolou durante os dias de 25 e 26 de agosto e foi sediado no espaço Gafanhoto, a casa de cultura do Cazé Peçanha. Eu estive lá e o evento foi bem da hora, mas não pelo evento em si e mais pelas pessoas que estavam lá. Encontrei figurinhas repetidas como Marco Gomes, Fujita, Manoel Blog Blogs e conheci também o Rodolfo Sikora. Esse Sikora é muito gente boa, confirmando as idéias que a gente já tinha trocado pela internet a fora. Espero que a parceria vá pra frente Sikora.

Recuperando o fôlego agora, o que eu queria falar mesmo é de como a internet não é mais espaço dominado apenas por nerds geeks computeiros de plantão. Sim, agora nós temos também a presença de jornalistas! O aumento cada vez maior do volume de jornalistas e "jornalistas" na internet e principalmente na blogosfera está mudando o modo de como a informação é consumida e de como a mídia tradicional se expressa nesse mercado. Muitos podem dizer que estou um pouco atrasado ao dizer isso, mas eu sempre quis falar sobre isso. Se muitos já sabem disso (apenas a blogosfera e quem come por essas bordas), outros muitos mais não sabem. Vide várias amigas que tenho que estudam jornalismo e nem sabem que no futuro o sonho delas pode não ser mais trabalhar para o Estadão e sim ter um blog de sucesso e trabalhar em casa.

Este fenômeno já salta os olhos de muita gente por aí, vide a matéria de aniversário da Super Interessante de setembro: "A super faz 20 anos, vai fazer 30?". Essa matéria fala exatamente de como a venda de jornais como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e O Globo tem caído constantemente desde o ano de 2000. Isso é fruto de quem? Será que as pessoas estão lendo menos? Pelo contrário, acho que as pessoas estão lendo e se informando mais do que nunca. Hoje você pode ler o que quer e o que gosta, pode escrever sobre isso e pode dar sua opinião sobre o artigo que você lê. Ahhh, isso tem nome né? Lembrei, é blog!

A internet tem revolucionado vários mercados, não é apena uma tecnologia, fria e sem sentido humano. É uma revolução que não toca apenas os geeks de computação, toca também os sociólogos que querem entender o comportamento estranho de um milhão de adolescentes passando mais tempo no MSN e orkut que na frente da televisão. Toca também os donos de gravadoras, que cada vez mais vêem seus impérios desmoronarem. Toca os jornalistas e empresas da mídia padrão, que estão precisando repensar como eles devem trabalhar.

A internet é tudo isso. Temos espaço para todos e queremos que todos tenham seu espaço. Que venham muitos mais blogcamps e que tenhamos além de blogs de jornalistas, tenhamos também muito mais blogs de música, cinema, quadrinhos e esportes. Que tenhamos de fato a revolução da informação que alguns chamam de Web 2.0!

21 julho 2007

Problemas com firefox no ubuntu feisty

Fiz uma atualização para o firefox 2.0.0.5 através da atualização automática do ubuntu e depois disso comecei a ter problemas com meu firefox. Ao tentar iniciar o firefox, ele não abria. Dai tentei iniciar ele pelo shell, o executável do firefox fica em /usr/bin/firefox. Continuou não funcionando, mas pelo menos apareceu uma mensagem de erro no shell: "Segmentation fault (core dumped)".

Depois disso, achei que o problema era mais sério. Então rodei o firefox no modo safe, através do comando firefox -safe-mode, dentro do diretorio /usr/bin. Consegui abrir o firefox com todas minhas extensões desabilitadas. Dai achei a solução para o meu problema nos forums do ubuntu. O problema era uma extensão que eu tinha instalada chamada colorzilla. Logo depois que desinstalei essa extensão, tudo voltou ao normal.

Mas dai pensei: "poxa, vou ter que ficar sem uma das minhas extensões?". Lendo um pouco mais, descrobri que o próprio site do colorzilla fala que é melhor utilizar o firefox do repositório da mozilla, ao invés do firefox do repositório do ubuntu (repositório default de onde é feito o download do firefox em um ubuntu com configurações padrões).

Ainda não fiz isso porque não estou precisando usar o colorzilla, mas assim que precisar, eu faço isso.

Uma dor de cabeça a menos...

obs.: ando blogando menos esses dias porque estou com muitas atividades em paralelo: provas, trabalhos da faculdade e a minha startup. Mas logo voltaremos ao ritmo anterior. Sobre aqueles que estão esperando a segunda parte do post sobre killer apps na web, não se preocupem que não esqueci. Apenas to dando um tempo maior para coletar mais informações interessantes.


Technorati Tags:

23 junho 2007

Diversões de final de madrugada

Depois de passar a madrugada inteira estudando arquitetura de computadores resolvi dar uma relaxada. Fui ler os blogs do meu google reader, dei uma olhada em uma ótima apresentação para computeiros de plantão e finalmente o episódio engraçado do final de madrugada...

Resolvi fazer o upload para o ijigg de uma musica que gravei para uma amiga minha (data especial). A música ficou até legal, uma música do Cute is what we aim for, chamada Lyrical Lies. O engraçado é que depois de fazer upload, a freqüência da música ficou um pouquinho alterada, hehehe.

Para sentir o resultado disso, só ouvindo mesmo. (sim, sou eu e meu violão na gravação)


21 junho 2007




Chegou meu livro Operating Systems: Design and Implementation (3rd edition), pela Amazon!!!

Eu estava bem ansioso para que chegasse esse livro, tanto que escolhi a opção média em velocidade de entrega da Amazon (que me custou US$17.98), mais o preço do livro (US$108.30). Sim, o livro saiu bem carinho, mas valeu a pena, é um livro para ficar para posteridade. Apenas para deixar registrado, os caras da Amazon me entregaram uma semana antes do previsto! Essa é a segunda compra que faço lá nesse ano, e não posso reclamar nada deles. Os livros chegam em perfeito estado, e quando não chegam exatamente na data prevista, chegam uma semana antes! (pelo menos comigo...)

Para aqueles que não sabem, o Minix (sistema operacional estudado nesse livro) foi o SO que deu origem ao Linux. Quando o nosso amigo Linus Torvalds ainda era um estudante (e sem muita coisa para fazer, ou namorada...) pegou o código do Minix e resolveu fazer umas modificações (veja aqui se o Tanenbaum gosta da abordagem do Linus para sistemas operacionais. Imagine o Linus bombando na matéria SO dada pelo Tanenbaum!!! Seria um paradoxo, hehehe). Pois bem, o Minix é um sistema operacional didático e bom para ser estudado. Até agora do que estudei dele só me deixou feliz, não é nada chato ficar olhando o código do Minix (apesar de ser trabalhoso.)

Esse post foi apenas para expressar minha satisfação, um micro post. O próximo post de verdade vai ser a continuação do post de Killer Aps. Fiquem atentos!!!

Technorati Tags: ,

16 junho 2007

Killer apps, parte I: por que o PC deu certo?

Nem sempre o computador foi uma máquina para ser usada por pessoas comuns, gente que queria apenas fazer um trabalho da escola, fazer uma planilha de finanças pessoais ou mesmo jogar um gamezinho. Antigamente essa máquina era usada apenas por grande corporações como bancos e grandes universidades. Os computadores desse tempo eram verdadeiras geladeiras, mais conhecidos como mainframes, e esse mercado era dominado pela nossa amiga IBM.

Algumas décadas atrás o computador como conhecemos hoje não existia, esse negócio de teclado e mouse, nem passava pela cabeça dos gigantes da época como IBM. A idéia do PC (personal computer) estava muito longe das empresas gigantes e lentas como IBM, entre outras. Para ilustrar essa falta de visão, podemos citar o descaso que a Xerox teve em relação às inovações desenvolvidas no seu laboratório PARC, lá foram desenvolvidos invenções como a interface gráfica e o mouse (sim, eles realmente cagaram para essas invenções revolucionárias! Nas palavras de um dos executivos da Xerox: "Como vamos vender algo que se chama 'mouse'?! ").

Quando o primeiro computador pessoal foi inventado pela MITS, o Altair 8800, ele era uma máquina que realmente não servia para nada, uma máquina que servia para pura adoração e curiosidade de geeks. Depois veio o Apple I, que ainda não tinha realmente uma aplicação e valor de verdade, sendo produzidos um número por volta de apenas 200 unidades. Finalmente veio o Apple II, esse agregou valor de verdade, mas por que? Por causa de um carinha chamado Dan Brincklin e o seu software, o VisiCalc, a primeira planilha eletrônica a ser inventada. Esse software foi a Killer Application do Apple II. Antes dele, o Apple II ainda era uma máquina para hobistas, objeto de curiosidade, mas depois do advento do VisiCalc, o Apple II se tornou algo de valor, algo que valeria a pena comprar simplesmente pelo fato de ele podar rodar o VisiCalc em cima dele. Era aí que eu queria chegar, no conceito de Killer Apps. O que é uma Killer Application então? Algo tão valioso, que é tão necessário de se ter ou usar, que você acaba comprando ou usando as tecnologias que tem "embaixo" dessa killer app apenas para poder usar a killer app em si.

Ok, mas por que toda essa aula de historia do PC? Simplesmente para fazer uma introdução de killer apps para poder falar do que realmente importa hoje, a web!!! Em especial a web 2.0. Já sabemos o porquê a plataforma PC deu certo, devido a diversas Killer Apps (planilha eletrônica, editor de texto, editor de imagens, jogos, etc) que alavancaram suas vendas e assim foi criado o gigante mercado do computador pessoal. O valor não estava na plataforma em si (o computador, o hardware) e sim nas killer apps (o software). Devido a perceber essa troca de valores, o titio Bill Gates se deu MUITO bem, já o amigo Steve Jobs não se deu tão bem assim (leia depois sobre como o Steve Jobs não soube dar valor ao NextStep, o sistema operacional do seu computador Next)

Legal, agora vamos finalmente falar de web. Qual foi a primeira killer app da internet? O e-mail, e depois? A web em si! A invenção da World Wide Web pelo nosso amigo Tim Berners Lee. Ok, desde então, Tim sempre foi questionado sobre qual seria a evolução da web. Em uma entrevista no livro de Redes de Computadores e a Internet, ele então falou: "Como disse em meu livro, tenho um sonho para a web... e esse sonho tem duas partes. Na primeira espero que a web se torne um meio muito mais poderoso de colaboração entre pessoas. (...) Na segunda parte do sonho, as colaborações estendem-se a computadores, com as máquinas capacitadas a analisar todos os dados da Web (...) ainda está para surgir uma "Web Semântica". Legal o sonho do Tim né? Mais legal ainda é saber que já estamos vivendo a primeira parte do sonho dele na prática, e essa primeira parte se chama Web 2.0 (o homem tem costume de dar nome a tudo né?)

A Web 2.0 nada mais é do que o uso correto da Web, enxergar a Web como plataforma e entender as regras para o sucesso nessa nova plataforma. A web 2.0 é sobre colaboração e compartilhamento e criar meios para que isso seja possível. A web 2.0 é entender que os dados são o novo Intel Inside do século XXI. Mas como toda plataforma, ela não sobrevive sozinha, ela precisa de killer apps para sobreviver e mostrar que tem valor. O google já sacou isso, e você, já sacou?

Chegamos ao acorde final desse post. A web 2.0 precisar de killer apps, correto? Quais são ou serão essas novas killer apps? Como seria uma killer app dessa web 2.0? Um google, um youtube, um last.fm?

A parte II desse post é sobre isso: KILLER APPS na Web 2.0 (ou sua inexistência...)

keep your eyes open



Technorati Tags: ,

28 maio 2007

Ultimo da série paródias Mac x PC




Colocando um pouco atrasado, mas pelo menos colocando... Último vídeo da série de paródias estilo Mac x PC, mas na visão Rails x Anything, hehehhe.

Esse vídeo me fez lembrar um trecho do livro Agile Web Development with Rails: "When faced with these complexities, the industry did what it always does: it invented a three-letter acronym: ORM, Object/Relational Mapping. Rails uses ORM." Esse trecho é parte do começo do livro, onde ele fala como Rails trata o mapeamento do paradigma de orientação a objetos no paradigma de banco de dados relacional.

Realmente o framework que trata disso no Rails, o Active Record. é muito bom e ocupa uma grande parte do Rails. Poder tratar entidades de bancos de banco de dados como objetos de modo transparente é ótimo. O detalhe é: não temos que ficar fazendo diversas configurações em XML, como é o caso do Java com Hibernate.

Mas nem tudo são flores, algumas das features de relacionamentos do Active Record como o has_many, podem trazer problemas de gasto de memória, pois nesse caso ao você fazer um load de um objeto do tipo ActiveRecord::Base, o Rais puxa para você tanto o objeto que você quer trabalhar quanto o(s) objeoto(s) relacionados a ele. Isso pode ser ruim, em casos que a memória disponível é pouca.

Bem, mas o que posso dizer, é que vale a pena programar com Rails, no mínimo é mais divertido, e mais rápido o desenvolvimento

Technorati Tags: , ,


19 maio 2007

Terceiro vídeo da série: MVC




Este já é o tereceiro vídeo da série, e já da para ver que está fazendo bastante sucesso na blogosfera. Dessa vez os caras do RailsEnvy estão brincando com PHP.

Esse vídeo me fez lembrar de uma coisa que eu não tinha percebido direito ainda, em Rails desenvolvemos aplicações em MVC sem nem mesmo sabermos disso. E olha que arquitetura de software é algo importante, já tive dor de cabeça em alguns estágios que fiz por falta de uma boa arquitetura de software. Sempre encho o saco de meus amigos com essas coisas "chatas" de organização: arquitetura, engenharia de software, processos... Acredito bastante nisso. Agora só me falta entender bastante disso! Próximo passo: desenvolvimento agil de software!


Technorati Tags: , ,

16 maio 2007

Segundo vídeo da série



Olha os caras do Rails Envy de novo! Serão quatro vídeos no total, então preparem-se para o resto. Dessa vez a zoação é com o PHP.

Ah, para quem não conhece Migrations do Rails, é um modo de versionar as mudanças no seu banco de dados, só que independente do banco de dados, pois os scripts são escritos em Ruby mesmo e não em SQL. Ainda mais, a execução desses scripts é automatizado pelo Rake, ferramenta de automatização de tarefas em Ruby e amplamente usado no Rails. Resumindo, menos dor de cabeça e menos cabelo branco.

KISS (Keep It Simple Stupid!)

Technorati Tags: , ,

14 maio 2007

RoR/Java estilo Mac/Windows



Continuando a brincadeira entre Ruby on Rails e Java, acho que esse videozinho ilustra bem. (vcs com certeza já devem ter visto vídeos como esses nas propagandas do Mac zoando o Windows, senão viram, google it!)



Technorati Tags: , ,

13 maio 2007

Novidades no Blog


boo-box shop 'n' blog

Bem, hoje foi um dia atípico, já fiz três posts (com esse), se bem que foram num estilo diferente, mais para micro-posts.

Esse post é para falar de algumas funcionalidades novas e widgets novos do meu blog. Agora to usando o serviço do nosso amigo Marco Gomes, o Boo Box. Isso vocês podem testar no meu outro post sobre Java e Ruby. O Boo Box é uma forma interessante de monetarizar o seu blog, e de criar uma busca contextual dentro do blog (parece que o boo box usa microformatos, ta vendo como é pura semântica!).

O outro widget é do Twiter. Esse widget está na barra lateral do blog, bem embaixo. Com ele da para você saber quais foram meus ultimos passos. Pensei que esse negócio não fosse funcionar muito, mas já fiquei viciado! Consigo postar no meu twiter de dentro do google talk, dai vou relatando todas as minhas aventuras de programação madrugada a dentro.

Ainda tenho que falar do Jaxtr e do My Blog Log, mas isso fica para um próximo post.

O quanto eu sou nerd?


Recebi um e-mail interessante no meu grupo de e-mails da faculdade (para quem não sabe faço engenharia de computação). Um e-mail sobre um teste de quão nerd você é.

A maioria dos estudantes de computação e ciências geeks afins não gostam de ser chamados de nerds. Por que? Isso é mais um daqueles estereótipos que a sociedade criou e na qual você acredita mas nem sabe porque.

Bem, adotando meu novo estilo de blogar, não vou falar muito, mas só queria dizer que é bom ser nerd, não é nenhuma vergonha. Para não dizer que sou nerd, gosto de dizer que sou geek (soa melhor)

Concluindo, a figura abaixo diz o quanto sou nerd, faça vocÊ também o teste e deixe um comentário nesse post informando qual o seu resultado. Até mais!


I am nerdier than 94% of all people. Are you a nerd? Click here to find out!

Programar em Rais ou em Java?


Acho que a figura já fala tudo que penso sobre Ruby e RoR... Além de ser mais barato em termos de livros, é também mais divertido!

Technorati Tags: , ,

14 abril 2007

O mais novo Joost beta tester!

Olá leitores, quero dizer que valeu a pena esperar, consegui o meu convite do Joost! Agradecimentos ao nosso amigo Gabriel do oito passos.

No momento estou testando o Joost, já posso dizer que estou tendo uma boa experiência de usuário com ele e que visualmente ele é bem bonitinho. Mas ainda não vou fazer meus reviews de verdade sobre ele, preciso testar mais e ver seus limites. Por enquanto vou deixar o gostinho da minha experiência com o print screen que fiz. Esperem que no próximo post vou detalhar melhor minha impressão do Joost.



Posted by Picasa

03 abril 2007

Convite do Joost

Você já ouviu falar no Joost? Caso não tenha ouvido, vou te ajudar... Você já ouviu falar no Kazaa ou no Skype? Se não ouvi falar em nada disso, esqueça, você não viveu a internet nos últimos anos. Falando sério agora, o Joost é um serviço de IP TV criado pelos mesmos caras que fizeram o Kazaa e o Skype, já da para sentir o peso, né?

Pois bem, estou com MUITA vontade de utilizar o Joost mas eles só estão permitindo betar testers agora. Você pode se inscrever para ser beta tester e esperar a fila andar, ou ganhar um convite de algum amigo. Por isso estou escrevendo esse post, para ganhar um convite do Joost.

Na verdade estou participando de uma promoção de nosso amigo do oito passos (inclusive conheci o próprio autor no Barcamp SP). É uma promoção para ganhar um convite de beta tester do Joost. Já faz um bom tempo que to com vontade de usar o Joost e essa é a minha chance.

Convido você também a descobrir o que esses caras do Joost estão preparando para nós...

o que mais esperar da web?

05 março 2007

Postergando a escolha

Muitas pessoas não sabem o que escolher no vestibular, algumas dessas escolhem Engenharia (com 'E' maiúsculo porque é algo que eu respeito). Porque Engenharia? Engenharia é uma profissão curinga! Nas palavras de meu amigo Diego Bartels: "Escolher Engenharia é postergar a escolha".

Postergar a escolha quer dizer que só depois de estar cursando ou finalizar o curso de Engenharia que você escolhe com o que vai trabalhar, não é o curso que define a sua carreira e sim você que a define. Outra frase interessante: "Engenheiro só não pode ser médico nem advogado, o resto tá valendo".

Existem engenheiros no mercado financeiro, trabalhando com consultoria, headhunters e até como engenheiros! Mas porque isso? Porque engenheiros não trabalham com engenharia? Não seria bom que tivéssemos uma indústria de semicondutores sólida? Não seria bom que desenvolvêssemos nossas próprias soluções tecnológicas? Não seria bom construir uma base tecnológica nacional mais forte ao invés de ficar importando tudo? Não seria bom que os engenheiros trabalhassem com engenharia e fizessem tudo isso por nós?!

Sim, é muito bom planejar, projetar e finalmente construir algo... e ainda ser pago por isso. Isso é que um engenheiro faz. Ele constroi coisas que agregam valor para alguém e ainda é pago por isso. Aí esta a maravilha do negócio! Vamos acordar para isso e fazer engenharia. Nada contra os engenheiros que não trabalham com engenharia, apenas tenho, sim, coisas a favor dos engenheiros engenheiros...

28 janeiro 2007

Google e internet... Sinônimos!?

O Google está construindo data centers bizarros em vários lugares e comprando um alto volume de backbones de fibra óptica... e o que isso tem a ver com a gente? Bem, pode ser que isso seja a base de construção para que um dia a palavra internet seja (quase) a mesma coisa que Google.

O Google está construindo uma estrutura que pode se basear na seguinte estratégia: cada dia mais cresce a demanda por uma maior largura de banda. Hoje em dia, algo em torno de mais da metade de toda a banda da internet está sendo usada no tráfego da rede Bit Torrent, sendo esse tráfego basicamente de vídeo. Ainda mais, todo esse tráfego é gerado pela minoria dos usuários de internet (os "early adopters"), uma pequena porcentagem de toda a gigante massa de usuários de internet. Conclusão: uma pequena porcentagem dos usuário de internet consome mais da metade da banda mundial da internet! O que isso quer dizer? Imagine quando o resto dos usuários acordarem e resolverem baixar capítulos de novelas da globo, episódios de big brother ou qualquer outra coisa popular! Os provedores de internet não vão dar conta de toda essa demanda, e sabe quem vai ter estrutura para suportar essa demanda gigante? Nosso amigo Google.

Com isso, o Google vai passar de sua página inicial da internet para a internet em si. Isso porque hoje ele está construindo data centers bizarros localmente, ou seja, espalhados pelo mundo inteiro. Assim, um data center local desses poderá suprir a grande demanda de banda de modo local e distribuido, diferente da atual estrura centralizada das ISPs (nossas "portas" para a internet). Nesse cenário, tudo pela internet iria passar pelos data centers do Google, com o nosso amigo se confudindo com a própria internet. As ISPs para sobrevirem teriam que pagar por um proxy Google e então conseguiriam se manter no mercado. Ou seja... todo o tráfego mundial da internet teria que passar por um dos "Google Proxies".

Um cenário desse não está muito longe e nem é tão fictício. Empresas que poderiam competir com o Google nessa estratégia de "proxy global" seriam: Microsoft, AOL e Yahoo. A Microsoft tem outras coisas para se importar mais (talvez tenham ficado cego), e os outros dois simplesmente não tem dinheiro o bastante para competir.

Então quem pode com o Google? Agora entendo porque eles não fizeram, ou fizeram poucos upgrades no seu mecanismo de busca. Talvez o verdadeiro negócio que o Google esteja visionando não seja o mercado de busca (de onde vem mais de 90% de sua renda) e sim o negócio de proxy global da internet, traduzindo... Ser a internet!

Sabe aquela frase: "O Google quer dominar o mundo!". Ela pode (e deve) ser realmente verdade...


artigo baseado no post When Being a Verb is Not Enough: Google wants to be YOUR Internet.

open your eyes

07 janeiro 2007

Onde estão as novas empresas brasileiras?

Com certeza temos mentes brilhantes nas nossas faculdades, ainda mais nas universidades top do Brasil. Universidades como USP, ITA, IME, UNICAMP UFSCAR (entre outras) formam centenas de engenheiros e geeks da computação por ano. Para ondem vão esses super profissionais?

Ainda temos o mesmo sonho que nossos pais, se formar e conseguir um emprego numa grande empresa que possa nos sustentar pelo resto da vida. É por essse e por outros motivos que nosso país não vai para frente.

Só sabemos criticar os EUA e citar todos seus defeitos. Deveríamos também saber identificar suas qualidades, por exemplo: "Por que os Estados Unidos é uma nação tão desenvolvida?". Acredito que uma das razões seja o espírito empreendedor que faz parte da cultura deles (você conhece aquela história de vender limonada quando pequeno...).

Os nosso melhores cérebros sonham em trabalhar para uma grande empresa e não em criar sua grande empresa. Por que? Diversos motivos. Eu acredito que um deles seja pura falta de informação.

A web inteira está na nossa frente mas não sabemos tirar proveito dela. Hoje temos o google que nos trás resultados bastante relevantes, mas será que não há um modo de trazer resultados ainda mais relevantes? Tem gente que acredita que sim! E tem gente investindo MUITO nisso. Basta dar uma olhada em In search of a new Google in Silicon Valley e no próprio Powerset.

Para encerrrar, eu queria colocar três links do blog do Paul Graham que é um blog que ando lendo bastante. Para quem também acha que abrir a própria empresa pode ser uma escolha melhor para você, para o país e para todos que o rodeiam, eu aconselho ler o conteúdo desses três links que vou mandar.

Hiring is Obsolete

A student's guide to startups

Why startups condense in america

open your eyes

 
Fork me on GitHub